quarta-feira, 23 de novembro de 2016

A Tentação, o Espírito e o nosso Bem


Em Mateus 4.1-2 encontramos: ‘‘A seguir, foi Jesus levado pelo Espírito ao deserto, para ser tentado pelo diabo. E, depois de jejuar quarenta dias e quarenta noites, teve fome.’’

Este é o terceiro contexto em que Mateus menciona a terceira Pessoa da Trindade e perceba que sempre aparece agindo na vida do Filho. No nascimento, gerando o Filho, no batismo, descendo sobre o Filho, agora, conduzindo o Filho para ser tentado pelo diabo. Nossa! Para ser tentado?

Contrariando o que muitos poderiam pensar sobre consequências de ser cheio do Espírito, aprendemos aqui que ser conduzido pelo Espírito não significa ser imune às tentações ou aos sofrimentos. Alguém poderia dizer: ‘‘Sou cheio do Espírito! Ninguém, nem mesmo Satanás, pode me tentar!’’ Bem, Jesus é a Pessoa mais plena do Espírito, no entanto, não só foi tentado, como foi conduzido pelo próprio Deus para ser tentado pelo diabo.

Alguém poderia pensar: ‘‘Nossa, que tanta crueldade do Espírito com o Filho.’’ Note bem que quem tenta para o mal não é Deus, e sim o diabo! Porém, Deus é quem permite de acordo com seu plano eterno. Deus usa a intenção maligna do diabo a bem dos seus propósitos. Aqui Deus permite que seu Filho seja tentado e era necessário que isto acontecesse para mostrar ao mundo todo que Jesus sofreu, foi tentado, mas não pecou porque viveu na dependência do Espírito Santo que o sustentou em meio às inúmeras e às mais intensas tentações que já existiram sobre um homem. Jesus suportou, foi aprovado e por isso pode ser nosso Sumo Sacerdote, nosso Mediador, nosso Salvador, pois é o Cordeiro imaculado.

Ele é o descendente da mulher que pisaria na cabeça da serpente, esta cena aconteceu no Calvário, mas aqui no deserto, é como se Jesus dissesse ao diabo: ‘‘Eu sou mais poderoso do que você! Eu sou aquele que vai pisar em sua cabeça! Suas tentações nunca me vencerão porque o Espírito que permitiu e me guiou até aqui é o mesmo que me sustenta de pé! Eu fui enviado por Deus para destruir suas obras malignas (I Jo 3.8b) e salvar do império das trevas os meus.’’

Ao contrário dos hebreus que prevaricaram contra Deus e desconfiaram de sua provisão no deserto rumo ao monte Horebe e também de Adão e Eva, não num deserto, mas no Éden, Jesus agradou ao Pai ao resistir firmemente às tentações do diabo porque estava cheio do Espírito de Deus. Ser cheio do Espírito não é pular, dar piruetas, cair no chão, sofrer uma crise de risos, falar em línguas estranhas, ficar fora de si, perder o controle, etc – como é pregado e visível em muitas igrejas que se dizem “cheias do Espírito”. Mateus no ensina aqui que ser cheio do Espírito é ser controlado por ele para querer a vontade do Pai em detrimento de qualquer outra coisa.

Na vida do cristão, qualquer tentação é permitida pelo Espírito também, tudo está debaixo do controle de Deus. O Espírito é quem conduz o crente de glória em glória (II Co 3.18). Certamente, Deus não deseja que ele ceda, muito pelo contrário, a tentação servirá para a aprovação e aprimoramento do seu caráter - e esta é a vontade de Deus nas tentações para o crente. Então não há crueldade, mas bondade. Aquilo que aparentemente é ruim, Deus reverte para o nosso bem de nos assemelharmos a Cristo. Pense em Jó como exemplo de aprovação e aperfeiçoamento do seu caráter. Pense o quanto Deus forjou a imagem dele à Sua própria imagem! Será que isto não foi bom?

Note também que, o corpo de Jesus estava fraco depois dos 40 dias de jejum, mas o Espírito Santo o conduzia a permanecer sintonizado com a vontade do Pai! O jejum de Jesus não foi penitência, mas busca por comunhão com o Pai, não de alguém que nunca teve, obviamente, mas a continuação de uma comunhão eterna. O jejum de Jesus consistia na atitude de sacrificar para se submeter. Sacrificar o desejo de comer e beber para aceitar a vontade do Pai. Este é o segredo para resistir às tentações.

Como Tiago disse: ‘‘Sujeitai-vos a Deus... chegai-vos a Deus...’’. Se estamos distantes de Deus, nosso braço por mais que seja forte não conseguirá resistir ao nosso arquiinimigo, porque nosso espírito estará fraco no momento da luta. Portanto, esforce-se, conheça ao Senhor e permaneça no Senhor. Somente quando estamos cheio do Espírito de Deus é que conseguiremos esta resistência, pois sua vontade clareará nossa mente para exercitar a escolha certa.

Também, de modo algum, a permissão de Deus é crueldade, até porque ele acolhe logo após a tentação como fez com seu Filho: ‘‘...vieram anjos e o serviram’’ (v.11). Lembra, das recompensas dadas por Deus pela fidelidade de Jó em cap. 42? Prova também que Deus quer nosso bem.

Além disto, quando resistimos à tentação, Satanás nos deixa assim como deixou, pelo menos naquele momento, Jesus ‘‘em paz’’ e fugiu! E também deixou Jó. Então Deus é bom, ao enviar tentações. Alegre-se e aprenda com elas (Tg 1.2-4,12).

Por isso, não adianta se reclamar das tentações, pois é o próprio Espírito quem nos conduz propositadamente para o nosso bem e alegria. Elas não vão parar!

Lembre-se que não estamos sozinhos, o Senhor nos sustenta pela Palavra e pelo Espírito. Ele escuta nossas orações de socorro (Mt 6.13).

Lembre-se de sempre confiar em Jesus, pois ele que sofreu todo tipo de tentação (hb 2.18; 4.14-16) se compadece de nós.

Lembre-se também que o Senhor não permite que soframos além do que podemos suportar, pois ele nos livra oportunamente (I Co 10.13).

Lembre-se, principalmente, se você é cristão, que se cair em alguma tentação, que isto não te acuse dizendo que você perdeu a salvação ou não há perdão, pois Cristo já morreu por este pecado, já te perdoou, então, simplesmente arrependa-se e celebre a vitória que encontramos em Cristo Jesus.

E você que ainda é descrente, lembre-se que Jesus é o cordeiro imaculado e substituto de todos aqueles que nele confia. Se você confiar, o pecado em sua vida não terá mais efeito condenatório, pois, Cristo já foi condenado, sem pecado, pelos pecados dos seus.

Tibério Bezerra


2 comentários:

  1. Amém, que mensagem confortante. Maravilhoso é o nosso Deus que nos sustenta em todas as provações. Obrigada pela meditação pastor Tibério, Deus continue abençoando vocês.

    ResponderExcluir
  2. Olá, Cris. A CBR Adonai está orando por você. Obrigado por sua participação aqui no Aplicações pra Vida. Também ore a nosso favor.

    ResponderExcluir