domingo, 28 de agosto de 2016

Jesus, o Salvador do Mundo

Em Mt 1.18-25, encontramos uma revelação inesperada para os judeus: o Messias é Deus-homem.


Acompanhe a passagem:

Ora, o nascimento de Jesus Cristo foi assim: Estando Maria, sua mãe, desposada com José, antes de se ajuntarem, ela se achou ter concebido do Espírito Santo. E como José, seu esposo, era justo, e não a queria infamar, intentou deixá-la secretamente. E, projetando ele isso, eis que em sonho lhe apareceu um anjo do Senhor, dizendo: José, filho de Davi, não temas receber a Maria, tua mulher, pois o que nela se gerou é do Espírito Santo; ela dará à luz um filho, a quem chamarás JESUS; porque ele salvará o seu povo dos seus pecados. Ora, tudo isso aconteceu para que se cumprisse o que fora dito da parte do Senhor pelo profeta: Eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho, o qual será chamado EMANUEL, que traduzido é: Deus conosco. E José, tendo despertado do sono, fez como o anjo do Senhor lhe ordenara, e recebeu sua mulher; e não a conheceu enquanto ela não deu à luz um filho; e pôs-lhe o nome de JESUS.


O evangelista têm duas ênfases aqui. Primeira, mostrar que a criança no ventre de Maria foi gerada pelo Espírito Santo. Além de ser filho de Abrãao e de Davi, o Cristo é o próprio filho de Deus, gerado pelo Espírito Santo. Ele não é um simples descendente de uma linhagem real, mas é o próprio Deus conosco pregado pelo profeta Isaías (7.14). Ele é o Deus-Homem, salvador do mundo.


Este fato nos leva à segunda ênfase: o homem não poderia ser salvo de seus pecados se Deus não interviesse trazendo a salvação.


Os judeus esperavam um Messias que iria liberta-los do jugo romano, um Messias politica e militarmente forte. Eles não compreenderam a real necessidade humana destacada em todo o Antigo Testamento.


Ante ao que importa na vida, o homem não precisa de dinheiro ou libertação de um jugo humano. Na verdade, de nada adiante ter todo o dinheiro do mundo e todo o poder de juízo se ainda carecemos da única coisa que precisamos. A glória de Deus.


Em Rm 3.23 diz que o homem é pecador e está destituído da glória de Deus. Mas a chegada do Cristo mostra o quanto a graça de Deus é superabundante! Pois pela própria vontade humana, o homem nunca se achegaria a Deus. Essa é a grande mensagem aqui de Mateus: Deus veio até nós com a sua glória para salvar o seu povo dos pecados deles conduzindo os homens para sua glória.


Mesmo o povo não querendo a glória de Deus e, na verdade, queriam a sua própria, Deus em toda a sua glória fez seu Filho se humilhar, a começar que sua própria mãe foi discriminada, rotulada de infiel e passiva de apedrejamento e seu pai adotivo tinha plano de deixa-la. Porém Deus interveio com um sonho na vida de José para não abandona-la. E a palavra de Deus convenceu José a permanecer com sua esposa que retornou para Maria.

Perceba que o relato do nascimento de Jesus é completamente antiquado às expectativas dos judeus. Todavia, era necessário que o Deus-homem fosse humilhado desde a geração até a sua morte para cumprir com a sua missão de salvar os homens de seus pecados.

Algumas lições do nascimento de Jesus.


Primeira, não se engane, sua real necessidade não é dinheiro nem poder, não é sair da depressão, não é melhorar o casamento, não é a cura da doença terminal, não é passar no vestibular, não é ter sucesso no emprego. É a glória de Deus que veio até você por meio de Jesus. É desta graça que você precisa.


Segunda, Jesus veio para salvar o homem de seus pecados, logo, irmão, lembre-se que os seus pecados não te condenam mais. O sangue de Jesus é mais poderoso do que qualquer pecado seu (I Jo 1.7). Antes, não se acuse, confesse seu pecado e se aproprie do perdão de Deus que traz verdadeiro alívio à nós.


Terceira, Deus cumpre suas promessas, por isso, esperemos nele. A promessa de Isaías estava se cumprindo, centenas de anos depois de ser feita. Jesus prometeu que retornará para restaurar todas as coisas, então, esperemos.


Quarta, Jesus é conosco. Este é um atributo revelado por Mateus tanto no início do seu evangelho como no último versículo. Em sua vida, Deus é presente, não desconfie disto. O crente não enfrenta problemas sozinho. Deus intervém, assim como fez na vida de José ao dar as explicações devidas e de Maria ao livrá-la da morte. Não queira enfrentar a vida sozinho, Deus é contigo, irmão, Sua palavra está em suas mãos, então medite nela e encontre a vida de Cristo.


Por último, aprendemos com José o grande valor de confiar e obedecer à Palavra de Deus. Obedecer é a prova de que eu confio. Se digo que confio e não obedeço, estou mentido. José obedeceu à voz do Senhor e quanto a você, tem tentado dá desculpas para sua vida sem temor ou tem temido e tremido diante da Palavra. Deus diz pra você: “minha mão fez todas essas coisas, e assim todas elas vieram a existir, diz o Senhor; mas eis para quem olharei: para o humilde e contrito de espírito, que treme da minha palavra.” (Is 66.2)
Tibério Bezerra

Nenhum comentário:

Postar um comentário