segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Importâncias da genealogia de Jesus

Leia a genealogia de Jesus Cristo em Mt 1.1-17 e acompanhe quatro importâncias de se conhecer a linhagem de Jesus.

Acompanhe o texto:

Livro da genealogia de Jesus Cristo, filho de Davi, filho de Abraão. A Abraão nasceu Isaque; a Isaque nasceu Jacó; a Jacó nasceram Judá e seus irmãos; a Judá nasceram, de Tamar, Farés e Zará; a Farés nasceu Esrom; a Esrom nasceu Arão; a Arão nasceu Aminadabe; a Aminadabe nasceu Nasom; a Nasom nasceu Salmom; a Salmom nasceu, de Raabe, Booz; a Booz nasceu, de Rute, Obede; a Obede nasceu Jessé; e a Jessé nasceu o rei Davi. A Davi nasceu Salomão da que fora mulher de Urias; a Salomão nasceu Roboão; a Roboão nasceu Abias; a Abias nasceu Asafe; a Asafe nasceu Josafá; a Josafá nasceu Jorão; a Jorão nasceu Ozias; a Ozias nasceu Joatão; a Joatão nasceu Acaz; a Acaz nasceu Ezequias; a Ezequias nasceu Manassés; a Manassés nasceu Amom; a Amom nasceu Josias; a Josias nasceram Jeconias e seus irmãos, no tempo da deportação para Babilônia.

Depois da deportação para Babilônia nasceu a Jeconias, Salatiel; a Salatiel nasceu Zorobabel; a Zorobabel nasceu Abiúde; a Abiúde nasceu Eliaquim; a Eliaquim nasceu Azor; a Azor nasceu Sadoque; a Sadoque nasceu Aquim; a Aquim nasceu Eliúde; a Eliúde nasceu Eleazar; a Eleazar nasceu Matã; a Matã nasceu Jacó; e a Jacó nasceu José, marido de Maria, da qual nasceu JESUS, que se chama Cristo.

De sorte que todas as gerações, desde Abraão até Davi, são catorze gerações; e desde Davi até a deportação para Babilônia, catorze gerações; e desde a deportação para Babilônia até o Cristo, catorze gerações.

 Primeira, provar a Messianidade de Jesus. Dentre outros propósitos, Mateus escreve seu evangelho principalmente para provar que Jesus é o Rei Messiânico, O prometido do Antigo Testamento que restauraria todas as coisas. De modo apologético, além de evangelístico, ele apresenta várias provas. Aqui, a ascendência humana de Jesus. Para ser o Rei, Jesus tinha que ter as devidas raízes reais! E, sim! Ele é descendente direto da Casa de Davi e de Abraão. Por isso, é o Rei Messiânico.

Os judeus valorizavam as genealogias, pois sem elas não se podia provar a que tribo um judeu pertencia e os direitos de herança (Ex.: Ed 2.59-63). Mateus defende que Jesus não foi uma figura isolada ou aleatória na história, muito menos um usurpador. As promessas messiânicas do AT foram dadas principalmente a Abraão (Gn 12.1-3; 15.3-4; 22.18) e a Davi (II Sm 7.12-16), por isso o destaque no verso 1. E Mateus, de modo contundente, fez o elo entre Jesus e eles. Mas veja também Gn 49.10 quando fala sobre a supremacia da tribo de Judá.

Outra importância: revelar a soberania de Deus. Deus preparou o cenário para o nascimento do Rei Jesus. Ele é o Senhor e Provedor da história. Nem mesmo o Cativeiro Babilônico ou o decreto do Rei Assuero puderam aniquilar a linhagem real. Como disse Jó: nenhum dos teus planos pode ser frustrado (42.2). O próprio tempo em que Jesus nasceu era de desprezo e submissão aos Romanos. Aos olhos humanos, o tempo era completamente desfavorável para a chegada do Messias. O povo não tinha voz nem força militar, era de fato uma terra seca nas palavras do profeta Isaías (53.2). Mas o Senhor é soberano!

Outra importância: mostrar a graça de Deus na vida de pessoas. Jesus é a tradução para “yeshua” em hebraico e significa “o Senhor é a salvação”. Ele é aquele que salva (v. 21). Observe a graça salvadora na vida das mulheres citadas: Rute, moabita, era idólatra; Raabe, de Jericó, era prostituta; e Tamar, cananeia, prostituta. Também perceba a graça santificadora na vida de Bate-seba, adúltera, e, a graça sustentadora, em Maria, rotulada adúltera.

Ao mesmo tempo que Mateus revela a graça de Deus na vida de pessoas pecadoras, ele apresenta outra importância: mostrar a humildade do Senhor. Sim! O Rei Santo poderia ter nascido em uma linhagem de pessoas santas, sem pecados, mas... Jacó foi um enganador; Judá conspirou contra seu irmão; Davi, adulterou e assassinou; Salomão, avarento e mulherengo; Roboão dividiu o reino de Israel; Manassés, o pior rei de Judá. Alguns realçam pessoas de grandes feitos ou caráteres em sua linhagem, particularmente, meu bisavô era primo de Patativa do Assaré, poeta popular famoso da Região do Cariri no Sul do Ceará, mas não vou mencionar nenhum “podre” da minha família! Mas Mateus não poupou e revelou os antepassados de Jesus Cristo, pessoas abomináveis, porém isto realça a humilhação do Rei, uma grande virtude Divina.

Diante destas verdades, louve a Deus por sua fidelidade em cumprir a promessa de salvação aos judeus e gentios. Confie só em Jesus para sua salvação, pois só ele é o Cristo (leia I Jo 5.13). Louve-O por seu caráter. Imite-O em sua humildade. A genealogia nos revela que Deus não se esquece do homem e cumpre seus desígnios no momento mais certo, mesmo que tenhamos que esperar milhares de anos, por isso, está sofrendo?, confie no Senhor, ele não tarda no seu tempo de restauração repleto de sabedoria. Ele mesmo prometeu, está escrito no último versículo deste evangelho, a consumação do século.

A serviço do Mestre
Tibério Bezerra

Nenhum comentário:

Postar um comentário